japheth-mast-Ls3yexjyRpk-unsplash

É tempo de agir na Compaixão

“Respondeu Jesus: “Eles não precisam ir. Deem-lhes vocês algo para comer”.
Mateus 14:16

Há necessidades e oportunidades negligenciadas e tratadas com indiferença por nós. Antes do andar sobre as águas (Mt 14. 22 – 33), Jesus multiplicou cinco pães e dois peixes para cinco mil pessoas, sem contar mulheres e crianças (Mt 14. 13 – 21). Vale a pena destacar que os discípulos perceberam a necessidade daquela multidão, mas talvez não tenham achado possível serem resposta naquela situação. Eles escolheram o caminho fácil: diagnosticaram o problema (distância, deserto, fome e escassez) e propuseram uma solução que não os envolvessem – despedir a multidão. Neste tempo, quando olhamos ao nosso redor, encontramos um cenário semelhante ao contexto do versículo supracitado. Muitas pessoas com fome, física e espiritualmente falando, carentes de pão, mas muitos de nós no máximo observamos. Não agimos com compaixão, preferindo a apatia e o descaso.

O caminho ‘fácil” proposto, era que cada um na multidão teria que se virar, bastava Jesus despedi-los para que procurassem comida. Os discípulos foram peritos no diagnóstico, mas omissos na empatia. Assertivos na demanda, mas negligentes na compaixão. Cientes de uma necessidade, mas indiferentes na ação. Se eles tivessem se lembrado do milagre do vinho em Caná (Jo 2.1-11), talvez tivessem pedido que Jesus atendesse a necessidade, não que mandasse as pessoas embora — então a resposta deles não só revela percepção limitada, mas também uma abordagem do problema que mostra falta de compreensão e de fé. Parece ser este um dos maiores desafios deste tempo, fugirmos dos caminhos fáceis para abraçarmos e refletirmos a fé, não temendo as circunstâncias. Atender e responder as necessidades ao nosso redor. Precisamos ser um povo que investe a vida na vida de outros, vazios de nós mesmos, cheios do Espírito Santo e confiantes no Deus provedor, que nos leva a agirmos, que está no controle e tem as rédeas da história em Suas mãos.

Precisamos compreender e atender ao convite de Jesus, dando nós mesmos de comer à multidão. Ter compaixão e ser resposta começa com a entrega de tudo que temos e somos ao Senhor. A entrega precede a multiplicação. Rendição antecede o milagre. Além de alvos do Seu amor, também somos instrumentos deste amor, através da compaixão. Contamos com uma diversidade de possibilidades para agirmos “missionalmente” no Planalto Central. Não temas! É tempo de agir em prol ao avanço missionário, servindo a Deus e às pessoas. É tempo de entrega. É tempo de, como Jesus fez ao receber o que os discípulos tinham, agradecermos pelos recursos, possibilidades e capacidades que já temos recebido do Pai e avançarmos. É tempo de nos compadecermos e sermos resposta em Jesus, para uma multidão faminta.


Pr. Antônio Ramos Ferreira de Jesus, Pastor Batista, Teólogo, Pós Graduado em Psicologia Social e Graduando em Gestão Pública.

Deixe um comentário