Serene Indian man meditating outdoors

Não há razão Para o temor!

Salmo 23
Ao nos depararmos com este texto, não estamos diante de um amuleto, uma fórmula, uma receita pronta, uma reza… Estamos diante de uma incisiva realidade: de fato, diante da contemplação, reflexão e assimilação desse texto, a despeito de toda e qualquer circunstância, não há razão para o temor!

Tenho aprendido ao longo dos anos, diante de experiências vividas, e de forma mais incisiva durante esse tempo pandêmico, que a vida do cristão é muito mais do que nossa contingência terrena. De fato, aqui estamos limitados pelo binômio “espaço-tempo”, mas a Palavra de Deus nos assegura uma continuação da nossa vida para além da existência. Por esta razão não podemos deixar que as questões ‘mundanas’ retirem de nós o foco do porvir com Cristo. É óbvio que não deixaremos de nos preocupar com nossa vida terrena, afinal somos e permanecemos humanos… O futuro na glória, porém, é nossa esperança! Em suma, Deus prepara o melhor para nós já nesta vida; e sob todas as circunstâncias. Ele está presente aqui e agora. Ele cuida daqui até a eternidade.

O salmista expressa toda a sua confiança pautada no relacionamento desenvolvido com o seu Pastor. Com absoluta certeza, a convicção que permeia a declaração de Davi baseia-se em sua experiência de vida com Deus. Ele não expressou somente uma situação hipotética, possível. Ele abordou uma situação concreta e vivenciada. Observem que lições preciosas:

“Mesmo quando eu andar por um vale de trevas e morte, não temerei perigo algum, pois tu estás comigo”. Esta é a frase-chave deste salmo: “Não há o que temer… Ele está conosco!” Não à toa se encontra exatamente no centro dos versos… É a confirmação da promessa de Deus sobre as nossas vidas.

“A tua vara e o teu cajado me protegem”. A autoridade (vara) e o apoio (cajado) divinos sobre os seus. O pastoreio de Cristo sobre nós significa, dentre outras coisas, correção. Em várias oportunidades, é através da correção que o Senhor nos protege! Exatamente como fazemos com nossos filhos pequenos quando estes, por exemplo, insistentemente tentam colocar um grampo de cabelo numa tomada elétrica. Os pastores utilizavam a vara para contar, guiar, resgatar e proteger as ovelhas. O cajado nos dá consolo, paz e segurança.

“O Senhor é o meu pastor; de nada terei falta”. Não terei falta Dele! Ainda que tenha falta de tudo… Dele não terei! A suficiência de Deus em nossas vidas nos leva a repetir como o profeta Habacuque: “Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação”. (Habacuque 3.17-18).

Diante de tudo isto, não podemos paralisar! Jamais! O medo, o temor e as preocupações provocadas pelo momento que atravessamos devem ser depositados diante do nosso Bom Pastor. Ele transformará tudo em combustível para que possamos agir! Sim, agir! Que a nossa esperança em Cristo alcance outros ao nosso redor!