https://cbpc.org.br/wp-content/uploads/2017/11/1-6.jpg

         Na semana anterior, compartilhamos uma parte de uma reflexão sobre o que Jesus queria dizer quando nos chamou de Sal da Terra e Luz do Mundo, e pretendemos complementar essa visão neste texto. E para isso, é preciso que você compreenda o que foi dito no texto anterior, o qual pode ser acessado clicando aqui.

        Nós citamos três características do sal para refletirmos sobre o que Cristo estava querendo dizer (sobre provocar sede espiritual, adicionar sabor à vida das pessoas, e retardar o apodrecimento moral da sociedade). Porém, ao estudar mais essa passagem, você ainda pode descobrir outras razões pela qual Jesus nos chamou de Sal da Terra. Por exemplo, para que o sal seja efetivo, é preciso que ele seja potente, e além disso, ele tem que estar em contato com aquilo que deve  ser afetado. Então, se nós queremos ser eficientes como Sal da Terra, devemos ser potentes no Espírito, além de estarmos sempre em contato e proximidade com as pessoas que devem ser afetadas, fazendo com que elas se sintam amadas e acolhidas pelo nosso Deus através de nós.

          E não para por aí, pois sabemos que o sal não foi a única metáfora usada por Jesus em Mateus 5. Ele também nos disse que somos a Luz do Mundo. E aí vem a pergunta mais uma vez: O que Jesus queria dizer quando nos chamou de Luz do Mundo?

       Em primeira análise, a luz torna as coisas visíveis e nos ajuda a enxergá-las como elas realmente são. E é o que fazemos quando falamos em “dar uma luz” a um determinado assunto.

       Mas, quando analisamos o uso bíblico para a palavra “luz”, a ideia principal é apresentar a verdade de Deus a outros de forma clara e atraente, iluminando-a mostrando como ela realmente é. Embora sermos Luz do Mundo também implique na necessidade de termos um estilo de vida e conduta exemplar, a ideia central continua sendo articular de forma lúcida a mensagem do Evangelho.

         Outra passagem sobre luz que podemos citar como exemplo, está em 2Coríntios 4: 5-6, onde lemos que quando a mensagem de Cristo foi esclarecida à nós pela primeira vez “ele mesmo brilhou em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Cristo”. Percebeu a ligação entre a luz e a transmissão da mensagem do Evangelho?

        Após compartilharem essa visão do sal e da luz no livro “Cristão Contagiante”, os pastores Mark Mittelberg e Bill Hybels citam uma espécie de “equação do do evangelismo”. E segundo eles, é composta por três elementos que resultam em um impacto evangelístico eficaz, o Sal compõe os dois primeiros elementos, e a Luz o último. Os elementos são AP (Alta Potência do Espírito), PI (Proximidade Intensa com as pessoas), e CC (Comunicação Clara do Evangelho). A soma desses três elementos resultam em MI (Máximo de Impacto evangelístico). Então, segundo os autores do livro:

AP + PI(SAL) + CC(LUZ) = MI

       Para aprofundar mais nessa visão, indicamos o livro “Cristão Contagiante”, pois todos os capítulos deste livro foram escritos tendo essa ilustração como base.


Por João Pedro – Supervisão Adenildo Souza