https://cbpc.org.br/wp-content/uploads/2017/11/1-6.jpg

         Alguma vez você já sentiu como se sua espiritualidade se resumisse em tentar conseguir a aprovação de Deus? Como se sua fé consistisse apenas em uma lista de verdades para acreditar, coisas a fazer, e regras para obedecer? Já se sentiu como se, as vezes, os seus esforços para ler a Bíblia, orar, jejuar, ou servir na sua igreja não fossem o suficiente? Você enxerga a sua fé como sendo essencialmente um dever, com pouco prazer? Sente que seu cristianismo está monótono, se limitando somente em frequentar sua Igreja, agradecer a Deus pelo alimento, e servir de vez em quando?

          Se você disse “sim” a pelo menos uma das perguntas acima, é provável que você esteja vivendo uma religiosidade superficial, uma maldição clássica e muito presente em nosso meio desde sempre. Um exemplo que a Bíblia nos mostra sobre esse tema está em João 3: 1-14, quando Nicodemos visitou Jesus. Antes de entrarmos nessa passagem, é importante que você saiba de algumas coisas sobre Nicodemos. Conforme é explicitado na passagem em questão, Nicodemos era um dos principais mestres entre os farizeus, um dos mais respeitados, ele tinha uma ótima reputação entre os judeus. E como todo mestre farizeu dedicado, ele orava, jejuava, dizimava, frequentava cultos, lia e até mesmo ensinava o Antigo Testamento. Ele vivia uma vida decente, ética, e usava tudo isso como um esforço para honrar a Deus. Em resumo, Nicodemos era igual a muitas pessoas de hoje em dia que se dizem cristãs. Porém, havia algo de errado dentro dele.

         Nicodemos, apesar da sua religiosidade, não vivia um relacionamento com Deus. Mesmo com tudo o que ele fazia, seu coração estava distante do Pai, pois os deveres de sua religião se tornaram mais importantes do que o próprio Criador. Ele agia como se sua salvação dependesse dos seus méritos e não da sua fé. Essa é maldição da religiosidade superficial, a tentativa constante de fazer algo externo sem uma transformação interna.

         Então, entrando na passagem citada, como foi que Jesus respondeu a religiosidade superficial de Nicodemos? Ele disse “Se alguém não nascer de novo, não verá o Reino de Deus”, e ao ver o como Nicodemos havia ficado confuso com esta declaração, Jesus continua: “Em verdade, em verdade lhe digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus. O que é nascido de carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não fique admirado por eu dizer: ‘Vocês precisam nascer de novo'”. Afinal, o que será que isso significa?

         Se você ler a passagem inteira, verá que Jesus estava falando que nós temos que nascer do Espírito. Ele fez uma citação indireta da profecia registrada em Ezequiel 36: 25-28. Para entendermos melhor, vamos a passagem.

Então aspergirei água pura sobre vocês, e vocês ficarão purificados. Eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos. Eu lhes darei um coração novo e porei dentro de vocês um espírito novo. Tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne.Porei dentro de vocês o meu Espírito e farei com que andem nos meus estatutos, guardem e observem os meus juízos. Vocês habitarão na terra que eu dei aos seus pais. Vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.

Ezequiel 36: 25-28

 

              Esse é o problema da Igreja, ela está repleta de pessoas que vivem uma espiritualidade medíocre. Pessoas que ainda que vivam uma vida decente diante de Deus, não nasceram do Espírito, e não tiveram encontro real com a Vida, que é Cristo. Pessoas que não se converteram verdadeiramente. E você? Já nasceu do Espírito? Se você deseja esse nascer do Espírito, ore e peça ao Pai por isso; peça por um novo coração. Diga à Ele que você quer ter um relacionamento real e firme com Ele. Só assim você se livra dessa maldição.